Cedo venho

“Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus” (Apocalipse 22:20)

Ao contrário do que apresentam as dezenas de filmes hollywoodianos sobre o fim do mundo, o conceito central do Apocalipse não diz respeito à destruição, às sombras ou coisa do tipo. Embora haja descrito os juízos finais de Deus sobre os ímpios, o tema central do Apocalipse é muito mais glorioso do que imaginamos.

Na realidade, o termo “Apocalipse” vem do grego apokalupsis, que significa “revelação” e, para nós que aguardamos a bendita esperança, seu conteúdo nos fornece um grande consolo às nossas almas.

O Senhor Jesus, após revelar uma série de eventos futuros ao Apóstolo João e de lhe assombrar com muitas visões até então inimagináveis, conduz o velho Apóstolo para vislumbrar um pouco da sua morada eterna.

O Mestre nos apresenta a Nova Jerusalém, os novos céus e a nova terra. E encerra Suas revelações com a mesma promessa que Ele havia feito aos discípulos quase cem anos antes. “Voltarei!”

Ao contrário de nos apresentar um final assombroso, amedrontador ou medonho, o Apocalipse nos apresenta a vitória eterna e final de Deus sobre o pecado e a maldade humana. É o encerramento da história que, até estão, havia sido conduzida pelos homens, mas que nunca fugiu do controle do Senhor.

A promessa de retorno do Mestre, e o seu alerta para a brevidade de seu cumprimento, nos aponta para a necessidade de, diariamente, vivermos em conformidade com a Palavra, não com os corações amedrontados com o juízo divino, mas alegres e ansiosos para, finalmente, desfrutar das bênçãos eternas que há em nossa espera.

Hey, as Escrituras Sagradas se encerram com o que há de melhor e mais glorioso, as Palavras do Mestre, “Certamente cedo venho”. E o clamor de Sua Igreja que anseia por Seu retorno, “Ora vem, Senhor Jesus”.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.

#LITTLEDEVOCIONAL em seu WhatsApp

Receba nossos devocionais diretamente em seu WhatsApp. Junte-se à comunidade Little Son!

Hey, o que achou?

Deixe seus comentários